Pesquisar no Blog
cão ou gato está acima do peso
Cuidados Dicas Obesidade Para Tutores

Seu cão ou gato está acima do peso?

Seu cão ou gato está acima do peso? Diga não à obesidade do seu peludo seguindo esses 4 passos

Seu cão ou gato está acima do peso? Tem dificuldade para subir e descer escadas? Não quer mais brincar? Saiba que estes comportamentos em alguns cães e gatos podem estar associados a obesidade, isto é, quando o peludo está acima do peso ideal e corre riscos da obesidade.

Mas como evitar os riscos da obesidade?

Entre as diversas consequências da obesidade em pet estão: o aumento de problemas cardiovasculares, a sobrecarga das articulações, dificuldade respiratórias e o aparecimento de doenças metabólicas, além de diabetes, pancreatite e hipertensão.

Se você quer o seu pet saudável e mais tempo ao seu lado, não desista de fazer com que ele perca peso, pois isso irá ajudar a melhorar a saúde dele. Veja quatro passos para começar e ajudar o seu gordinho a emagrecer:

# 1 – Leve o pet para um check-up

riscos da obesidade
Os exames e consultas do seu pet devem estar sempre em dia!

Certifique-se que ele não está doente. Somente o veterinário poderá dizer se o seu animal não tem alguma doença que está contribuindo para o excesso de peso. As doenças mais comuns nestes casos são as doenças endócrinas (relacionadas à falta ou a excesso de hormônios). Um exemplo é o Hipotireoidismo.

Leia: Pets especiais: o que devo saber sobre a alimentação?

# 2 –  Inclua exercícios em sua rotina

riscos da obesidade
Os exercícios diários são muito importantes para o desenvolvimento e saúde do pet.

Cachorros precisam passear para gastar energia e evitar que fiquem obesos. Se o seu já está gordinho, leve-o para passeios diários! Mas atenção: não queira andar com ele tudo o que você não andou uma vida inteira. Comece aos poucos e vá aumentando a quantidade!

# 3 – Mude a dieta

riscos da obesidade

Mudar a dieta do pet neste momento poderá ser importante. Para isso, primeiro, você precisará da orientação do veterinário ou um nutricionista veterinário (ainda melhor!). Somente um especialista poderá orientar sobre a melhor ração – existem dietas terapêuticas ideais para cães e gatos obesos – ou ainda, recomendar a dieta natural. Neste caso, poderá ter ainda melhor adesão do peludo, mas é preciso ter em mente que comida caseira não é igual à comida humana.

Leia: 16 alimentos que não podemos oferecer ao pet

# 4 – Dê a quantidade certa de alimentos que o pet precisa

riscos da obesidade
O veterinário poderá indicar qual a alimentação mais adequada para seu pet.

Se você já sabe a melhor comida para o seu pet (indicada pelo veterinário), verifique a quantidade de calorias que ele deve consumir por dia. Isso irá depender da idade, porte e estilo de vida do peludo. Exclua os petiscos e comidas não previstos na alimentação dele. Se quiser manter esse hábito, diminua a quantidade de vezes por semana e busque petiscos mais naturais.

Dica natural!

A nutrição ortomolecular para pets pode ser uma ótima opção. Você deve procurar um especialista para isso! Confira as nossas dicas sobre este tratamento:

Sua vantagem é ajudar na prevenção de doenças e no tratamento de pets que sofrem de problemas digestivos ou outras patologias, como a diabetes. A medicina ortomolecular orienta sobre o correto aporte de vitaminas, minerais, antioxidantes e outras substâncias essenciais para manter o bem-estar e a saúde do organismo. Assim, consiste na introdução de alimentos funcionais e complementos da dieta caseira do pet.

Gostou das dicas? Então, compartilhe com quem possa interessar este tema!

Leia também: Manual de combate à obesidade: o que fazer quando o pet está acima do peso!

Nenhum comentário encontrado.

Deixe Seu Comentário