Pesquisar no Blog
Diarreia em cachorro e outros problemas digestivos
Cuidados

Diarreia em cachorro e outros problemas digestivos

Diarreia em cachorro e outros problemas digestivos: o que pode ser?

Seu cão tem dor de barriga? Vomita? Solta gases em excesso? Então, ele pode ter um problema digestivo! Independentemente do tipo de alimentação que o pet recebe, diarreia em cachorro e outros sintomas não devem fazer parte da rotina.

Alguns pets podem ter dificuldade para digerir alguns tipos de alimentos ou para defecar, sentir dores abdominais ou, por outro lado, apresentar diarreia e pelo e pelagem sem brilho e que caem com facilidade. Estes problemas podem ser causados pela ingestão de ingredientes presentes na ração ou alimentação natural, alimentos inadequados (que muitas pessoas têm o costume de oferecer) ou como sintomas de uma doença que esteja acometendo o cão.

Então, qual o melhor remédio para cachorro com diarreia? Como tratar o cão que tem gases ou vômitos? Entenda alguns problemas digestivos que podem ocorrer com o cão e como ajudar o seu melhor amigo!

# 1 –  Cachorro com dor de barriga

A diarreia é um sintoma que pode estar associado à diversas doenças e situações nos cães: parvovirose, verminose, doença inflamatória intestinal, troca de alimentação inadequada, uso de medicamentos e outras.

Para tratar um cachorro com dor de barriga é sempre recomendado procurar o veterinário aos primeiros sinais para entender o que está acontecendo com o pet. Somente um profissional poderá dar as orientações necessárias para o correto tratamento do seu peludo.

# 2 – Vômitos constantes

Vomitar logo após comer é, na verdade, uma regurgitação, ou seja, o alimento nem chegou a ser digerido pelo cão. Uma causa comum para isso é a velocidade que alguns cães comem o alimento. Outro ponto é quando o cão pratica exercícios logo após comer.

Estas duas situações podem ser resolvidas com a mudança de hábitos do cão. A primeira é oferecendo o alimento em comedouros que contenham “obstáculos” para que o pet seja obrigado a comer mais lentamente. E os exercícios devem ser realizados uma hora após a refeição.

Agora, se o problema persistir é preciso levar o pet para uma consulta com um especialista. Existem enfermidades associadas a este comportamento, como doença renal crônica e o megaesôfago (quando o pet perde a capacidade de realizar o movimento de contração muscular do esôfago, para que o alimento chegue ao estômago).

# 3  – Dificuldade para fazer cocô

Se o pet sofre de constipação, situação popularmente conhecida como “prisão de ventre”, pode estar com problema no intestino. A doença mais comum é a colite, associada à um segmento do intestino grosso chamado de cólon, onde ocorre a inflamação desta região.  

A alimentação (excesso de fibras) e a desidratação também podem contribuir para a dificuldade de defecar devido à formação inadequada das fezes. Se a situação persistir, pode acabar formando um fecaloma, que é uma grande massa de fezes endurecidas que obstrui o trânsito intestinal. Por isso, a melhor forma de evitar este problema é com a orientação do veterinário quanto à alimentação e a necessidade de ingestão de água pelo pet.

# 4 – Excesso de gases

Se seu cão solta muitos gases e chega até a envergonhar você em algumas situações, ele pode sofrer de um problema digestivo. Esta situação pode estar relacionada à dieta, pois alguns alimentos podem causar gases nos cães. Exemplo disso são as verduras (como repolho e brócolis), que podem fazer parte do cardápio da alimentação natural. Sem falar nos alimentos inadequados que alguns tutores oferecem ao pet como pão, macarrão e outros.

Os gases são formados pelo excesso de fermentação no intestino, feita pelas bactérias presentes na microbiota intestinal. Para tratar o problema, além de evitar oferecer alimentos inadequados ao pet, é preciso contar com a ajuda do veterinário para a formulação de uma dieta de maior digestibilidade, em que o cão possa aproveitar melhor os nutrientes oferecidos, evitando a formação de gases em excesso.

Como cuidar da digestão do pet?

Alguns cuidados são muito importantes para garantir que o cão não tenha problemas digestivos. Aqui vão algumas dicas!

  1. Oferecer um cuidado natural antes ou após a alimentação do pet. As dietas industrializadas são alimentos formulados com rígido critério de qualidade, porém, em alguns casos, podem causar dificuldades orgânicas.

Existem diversos ingredientes naturais que podem trazer benefícios para a saúde dos cães. Dentre eles podemos citar a alcachofra, a cenoura e a levedura de cerveja. Estes nutrientes que têm o poder de garantir o bom funcionamento do organismo, auxiliando na eliminação de toxinas, melhorando a absorção de nutrientes, fortalecendo a pele e os pelos, além de estimular as defesas naturais.

O Suplemento Equilíbrio, da Botica Pets, contém os benefícios desses ingredientes naturais, de forma concentrada, e pode ser administrado durante ou depois das refeições, seja ela alimentação natural (AN) ou ração. Saiba mais, aqui.

  1. Alimentação de qualidade: conhecer a procedência do alimento oferecido ao cão e garantir sua correta conservação.
  2. Não mudar a alimentação sem orientação do médico veterinário.
  3. Controlar a quantidade de petiscos diários. A quantidade oferecida deve ser calculada de acordo com a necessidade energética que o pet deve consumir por dia.
  4. Sempre contar com a orientação do médico veterinário e levar o cão para check-ups com o especialista.

Gostou desse conteúdo? Então fique atento porque semana que vem tem mais. Enquanto isso, confira 5 dicas para cuidar melhor do seu cão!

Nenhum comentário encontrado.

Deixe Seu Comentário