Pesquisar no Blog
Alimentação

O que você precisa saber antes de escolher a comida do pet

Uma alimentação equilibrada significa saúde para o seu cão. Se você quer manter o seu pet com o peso ideal, pelos brilhantes e sem queda, uma boa digestão e prevenir o peludo de enfermidades, oferecer uma alimentação adequada é essencial. Mas aí surge a questão: ração ou alimentação natural?

Isso vai depender de muitos pontos como o estilo de vida que você leva ou quer oferecer ao seu pet, idade e porte do animal, tempo e investimento que você pode dedicar ao tema e, ainda, se o seu peludo tem alguma doença crônica que precisa de maior atenção.

O primeiro passo é pedir a orientação de um médico veterinário. Com isso ficará bem mais fácil colocar na balança e decidir qual o tipo de alimento oferecer ao peludo.

 

Alimentação Natural (AN)

A AN consiste em oferecer uma alimentação saudável, balanceada, com ingredientes de alta qualidade, selecionados e que supram as necessidades nutricionais dos pets para cada fase de vida (filhotes, adultos e idosos). Pode ser cozida, crua com ossos ou sem ossos. Cada animal deve ter uma dieta específica que deve ser prescrita e acompanhada por um médico veterinário nutrólogo.

De acordo com as diretrizes da FDA – “Food and Drug Administration”, a AN significa que os ingredientes na comida para animais de estimação não tiveram quaisquer alterações químicas feitas a elas.

O modelo mais conhecido é o cozido, o que não é dar restos de comida para o cão ou gato. É necessário a elaboração de um cardápio que consiga suprir as necessidades nutricionais do pet, principalmente pelo processo de cozimento onde os alimentos perdem alguns nutrientes, submetendo o pet à uma necessidade de suplementação com vitaminas e minerais.

Assim como existem rações industrializadas específicas para diferentes doenças, também é possível formular “AN” específica para as diferentes necessidades dos pets.

 

Quais as vantagens da Dieta Natural?

– A possibilidade de variar o cardápio, evitando assim que o peludo enjoe e não coma o suficiente.

– A alta palatabilidade, por serem alimentos frescos e adequados de acordo com os gostos do peludo.

– Garantia de produtos de qualidade e frescos.

– As necessidades particulares são levadas em consideração, mantendo sempre uma alimentação balanceada.

– Pelagem mais brilhante e sadia, com menos queda de pelos pela casa.

– Redução das alergias, o que evita assim alguns problemas de pele e o desconforto de se coçar com frequência.

– Evita a obesidade, um desafio que nós humanos sabemos muito bem a importância de lutar contra.

– Não possui aditivos químicos prejudiciais para a saúde, comportamento e qualidade de vida do seu peludo.

– Rins e sistema urinário ficam mais protegidos, já que a alimentação natural contém muita mais água do que a ração seca comercial;

– Por não possuir fibras grosseiras e carboidratos em grande quantidade, seu peludo terá fezes com menos odor e volume.

 

Ração comercial

Cada vez mais, os tutores estão preocupados em oferecer alimentos compatíveis ao estilo de vida que levam. Também estão mais dispostos a investir mais nos alimentos livres de conservantes e corantes artificiais e até livres de grãos. No entanto, ainda existem muitas dúvidas sobre a escolha da ração para cães e gatos.

Uma grande variedade de alimentos prontos existente no mercado pode até dificultar na hora de escolher a ração do pet. Por isso, é preciso entender primeiro que existem as categorias que definem qualidade e custo dos alimentos. Entenda a seguir.

 

Rações: é tudo a mesma coisa?

Rações standard ou econômicas: são a maior parte do mercado, por isso, as opções são inúmeras. Possuem um menor custo por quilo de alimento e utilizam ingredientes mais baratos como farelos ricos em fibras (de trigo e soja), além de proteínas de fontes vegetais e maior quantidade de carboidratos como o milho. A maioria possui corantes e conservantes sintéticos. Por oferecer uma baixa energia metabolizável (energia do alimento que é absorvida após o processo de digestão nos animais), o pet precisa comer uma quantidade maior de alimento para se satisfazer, o que gera maior quantidade de fezes.

Rações premium: com a maior preocupação dos tutores com a qualidade de vida dos pets, as rações premium têm aumentado as vendas dentre os outros tipos de ração. Pode-se dizer que tem um bom custo-benefício, uma vez que têm ingredientes de melhor qualidade – evitando farelo de trigo e de soja – e investindo em farinhas de melhor qualidade como as de vísceras de aves, por exemplo. Nesta categoria há um melhor balanceamento entre os nutrientes (aminoácidos, ácidos graxos, vitaminas e minerais).

Rações super premium: atendem tutores mais exigentes e que estão dispostos a investir mais na alimentação dos pets. Os ingredientes são mais nobres e com alto valor nutricional. Há inclusão de nutracêuticos e alimentos funcionais como prebióticos, ômega 3, frutas e vegetais desidratados, fibras funcionais. Além disso, têm melhores teores de proteínas e gorduras e não possuem corantes. Outra vantagem é a alta energia metabolizável por quilo de alimento, reduzindo a quantidade de alimento que o pet precisa comer e, consequentemente, a produção de fezes.

 

Gostou das informações? Acompanhe também os nossos conteúdos em nosso canal do Telegram: https://t.me/boticapets.

Nenhum comentário encontrado.

Deixe Seu Comentário